Por favor, “se respeite!”

A verdade é uma só: quando não respeitamos nossos sentimentos, emoções, aspirações e principalmente nossa maneira de ser e sentir a vida, enfrentamos algumas conseqüências, entre elas a de carregarmos dentro do peito a da consciência, um forte sentimento de inadequação e ausência de amor e respeito próprios, o que em pouco tempo vai minando a saúde física e mental de qualquer pessoa.

Para aquele que deseja viver em harmonia consigo mesmo é necessário aprender a CEDER ou NEGAR, “no momento certo”, sabendo que será a partir destas atitudes conscientes que se evitará uma série de conflitos pessoais.

O objetivo maior da vida deve ser sempre o de viver da forma como se espera e se deseja, sem com isso ultrapassar limites, ferir ou magoar ninguém, pois se isso acontecer, é melhor buscar ajuda e orientação numa psicoterapia.

Portanto, de agora em diante, ceda a tudo aquilo que você tem consciência que vale a pena e diga “não” a todos os fatores externos e internos (pessoais), que o impeçam de ser uma pessoa realizada consigo mesma.

Faça as pessoas felizes, mas seja feliz também, respeite as pessoas, os animais, o meio ambiente, a natureza, mas por favor, se respeite também!

Vida boa!

Conheça!
http://www.JuventudeAlucinada.com

placacreditos

Anúncios

Seja transparente

Outro dia fui fazer um curso de negociação. A professora explicou uns conceitos teóricos e depois pediu para a gente fazer um exercício prático. Era assim: metade do grupo fez papel de funcionário procurando emprego, e metade fez papel de empregador procurando funcionário. E aí tinhamos que negociar para saber salário, férias, cidade onde iríamos trabalhar e coisa e tal.

Algumas dessas negociações eram complicadas. Por exemplo: salário. Claro que, para o empregador, quanto menos, melhor. Para o empregado é o contrário.

Não tinha jeito de os dois ficarem muito felizes, tinha que ter um meio-termo. Mas algumas outras eram muito simples. Por exemplo: os funcionários preferiam trabalhar em Nova York (MAS OS EMPREGADORES NÃO SABIAM DISSO). E os empregadores também preferiam que os funcionários trabalhassem em Nova York (MAS OS FUNCIONÁRIOS NÃO SABIAM DISSO). Ou seja, era só escolher Nova York e todo mundo saía ganhando. Pois você acredita que teve gente escolhendo Chicago, Boston?

Por quê?
Porque a gente tem a mania de, quando entra numa negociação, já de cara achar que o sujeito do outro lado quer te ferrar. E nem sempre é assim. Às vezes, os dois querem a mesma coisa, mas ninguém conta ao outro. Ficam os dois guardando segredo, em vez de serem claros, achando que assim levam vantagem.

Pois cada vez mais tenho certeza de que, se todo mundo for mais transparente, todos vão levar vantagem.

Aqui tem mais! 😉

OS ABSURDOS DA TERRA

Devo iniciar este texto revoltado com duas coisas absurdas desse país:

A falta de uma pena de morte ou prisão perpétua e como a Igreja se mete fazendo besteiras e criando polêmicas em coisas sérias.

Todos devem ter visto o caso da menina de 9 anos, estuprada pelo padrasto, em Pernambuco.

O primeiro absurdo é como um ser (des)humano consegue estuprar uma menina de pouco mais de um metro de altura, 9 anos de idade e ainda a engravidar de gêmeos! Depois de preso, o animal pode pegar até (APENAS!!!) 10 anos de cadeia!

Como confiar nessa justiça que dá APENAS 10 anos de cadeia pra um lixo desses? Será que quem trabalha na justiça, ou os deputados e senadores que fazer as leis, não tem filhos e filhas?

Ou será que vivem naquele ditado: No cu dos outros é refresco?

Enfim, depois de tudo a menina foi pro hospital e, como de acordo com a lei, ela se encaixava na lei do aborto (foi estuprada e corria risco de vida), resolveram fazer o aborto das crianças.

Fato que eu (que sou contra o aborto provocado, salvo em determinadas situações), particularmente concordo, pois nenhuma criança pouco desenvolvida, conseguiria levar uma gestação desse tipo até o final sem sequelas ou correr o risco de morrer (segundo o médico Olímpio Moraes).

Daí entra o segundo absurdo: A Igreja se metendo!

Depois a Igreja reclama que está perdendo fiéis pra outras religiões e até seitas…

Digamos que fazer um aborto seria matar um ser humano! Mas nesse caso, não interessa de que religião você é, ninguém gostaria de ver uma criança morrer por ter sido estuprada e ter uma gravidez indesejada.

Na minha opinião, a Igreja está errada!! A principal pregação da Igreja é o amor ao próximo, amor esse que não foi demonstrado pelo Arcebispo de Olinda, Dom (ré, mi, fá…) José Cardoso Sobrinho!

Prefere que uma filha de Deus seja morta, ou fique com sequelas, e gerar dois filhos do DIABO (cito o padrasto), do que ajudar essa alma inocente a gerar mais seres num futuro não muito distante!

Mas ele fez o contrário. Excomungou a família, os médicos, e todos aqueles que apioaram o salvamento da menina!

Será que é por isso que eles não podem casar? Ou será porque eles se protegem diante de fatos de pedofilia na Igreja também?

VAI TOMAR NO CU!!!

Eu to pouco me fudendo se um padre vier me excomungar… Isso pra mim não vale nada! Não é um Padre, ou Bispo, ou Arcebispo, ou até mesmo o Papa que vai decidir se vou pro céu ou não!

E tenho certeza que se Jesus estivesse na terra, iria apoiar salvar a vida da criança, ou fazer um milagre pra que a criança e os bebês se salvassem.

Então não me digam que esse verme que polui a Igreja Católica está certo. A lei de Deus diz que devemos salvar vidas e não acabar com elas!

Agora só quero saber uma coisa: Como ele vai fazer pra evitar que essas pessoas entrem na igreja na “Santa Missa de Domingo“? Vai colocar um guarda na porta com a foto de todos?

Na boa… Vai se fuder!!!

Se você concorda… OPINE NO BLOG!

Se você não concorda… Vai pra Olinda dar o cu pro Dom José…

Valores

Nossa busca desesperada por culpados pelo que acontece é tamanha que esquecemos de olhar para nós mesmos e enxergar o que fazemos para mudar ou contribuir com tudo isso.

Não adianta colocar culpa no governo, no sistema econômico em que vivemos, na falta de emprego e até mesmo nos jovens. Isso não é os maiores responsáveis pelo que acontece, cada um de nós temos nossa parcela de culpa. Sei que você não concorda porque é muito mais fácil transferir a culpa do que admitir que seja culpado, mas acredite que a cada atitude sua com qualquer pessoa terá uma conseqüência boa ou ruim.

Então porque não falarmos de Valores Familiares?

Jovens matando/espancando seus pais, avós. Pais matando/espancando seus filhos.

Exemplos é que não nos falta. Não vale a pena citar nomes e ou casos, porque são inúmeros.

Claro que sempre nos lembramos dos “clássicos” porque a mídia expôs e muita das vezes achamos que são só aqueles e nos enganamos, porque são só aqueles que a mídia resolve dar atenção e não são só os que acontece.

Vamos começar com uma comparação, entre os valores modernos e os antigos.

Antes os filhos tinham uma relação de respeito com os pais usando termos como: senhor e senhora. Hoje raramente ouço algum dos meus amigos chamarem seus pais desta forma. Essa informalidade ao se referir aos pais trouxe uma relação mais de amizade entre os mesmos, mas em contrapartida retirou uma parcela do respeito.

O tempo passa, o mundo cresce e as coisas mudam. Pessoas ficam cada vez mais sem tempo em busca sempre do objetivo de qualquer ser humano: dinheiro. Quem sofre com essa ambição desesperada por dinheiro são os filhos, que ficam sem atenção, carinho e acabam recorrendo a drogas, bebidas alcoólicas e sexo.

A novela de cada dia, o telefonema daquele executivo é mais relevante do que saber o que seus filhos estão fazendo?

Não estou condenando a busca pelo dinheiro, seria hipocrisia da minha parte, mas estou tentando mostrar para onde essa ambição está levando a humanidade.

Não vivi antes que 1992, mas sei que existia reuniões de jovens para bebedeira, sexo e drogas.

Porém a imprensa não dava muita importância para isso e as reuniões eram, além de escondida, de poucas pessoas. Hoje em dia as reuniões de jovens possuem isso tudo, mas com a diferença que a mídia da certa importância, as reuniões são públicas e que são muito mais jovens. A mídia só da importância para mostrar o que acontece de ruim em um baile Funk, Rave e outra qualquer festa que envolva jovens. Claro, ninguém está sentado na frente da televisão pra saber se um baile Funk acabou sem brigas, morte. Fazendo levar os telespectadores a pensarem que só o que tem nesses lugares são sexo, drogas e bebida alcoólica.

Isso se encontra em qualquer lugar a qualquer hora.

Quando um adolescente entra em coma alcoólico ou overdose, os pais dão esporro e a sociedade critica. Ninguém se preocupa em saber o que levou aquele jovem a fazer isso.

Pode ter sido a presença ausente dos pais.

A internet é um dos fatores contribuintes para a desunião familiar. Antes não existia e as famílias eram mais unidas. Porém o que seria de nosso nível de informação se não fosse à internet? Contaríamos apenas com o que nos passa pela televisão? Sendo que a televisão passa aquilo que é mais interessante passar e não a verdade por completo.

A tendência do mundo é se globalizar e isso está levando as famílias a se destruturarem.

Existirão os pais, os filhos, tios, avós e todos os membros que compõe uma família, porém o que é mais importante não existirá: união.

A família, um bem tão precioso, está se dissolvendo. Seus valores estão se perdendo em meio à “corrida capitalista”.

Tomara que esteja enganada e que isso mude.

Se existir um meio termo entre os valores atuais e os antigos, quem sabe assim um dia algum dia esse meu texto não passará de um mito.